Contenção ortodôntica fixa superior

Contenção ortodôntica fixa superior é um recurso ainda pouco usado pelos ortodontistas. Mas quando bem indicada, pode ser muito útil para manter o resultado do tratamento.

Cada vez mais os pacientes demonstram interesse pela contenção fixa superior. Seja pela praticidade ou pela eficácia em manter a posição dos dentes, devemos considerar essa alternativa.

O uso desse tipo de contenção traz vantagens e desvantagens para quem concluiu seu tratamento ortodôntico, e é sobre isso que vamos falar nesse post.

Contenção ortodôntica fixa superior estendida até pré-molares

Contenção ortodôntica fixa superior estendida até pré-molares

…Continue lendo…

Aparelho estético amarelado

Aparelho estético amarelado tem solução?

Aparelho estético cerâmico

Aparelho estético cerâmico


Apesar de apresentarem boa estabilidade de cor, os brackets cerâmicos (de porcelana) podem sofrer pigmentação ao longo do tratamento. Isso ocorre devido ao consumo de alimentos escuros como café, vinho tinto, açaí, etc.

Essa pigmentação pode deixar o aparelho estético amarelado ou escurecido depois algum tempo de tratamento.

O problema é que quando se escolhe esse tipo de aparelho, o objetivo é ter uma qualidade estética ao longo de todo o período de tratamento. Logo, a pigmentação dos brackets compromete essa finalidade.

A questão que se levanta é: Há alguma forma de melhorar a aparência de um aparelho estético amarelado?

…Continue lendo…

Manutenção do aparelho ortodôntico

Manutenção do aparelho ortodôntico é um assunto que gera muitas dúvidas em quem usa aparelho ou pretende passar por um tratamento ortodôntico.

Por ser um pagamento mensal, a manutenção (ou mensalidade) está diretamente ligada ao preço total do tratamento.

Manutenção do aparelho ortodôntico fixo

Como comparar valores de manutenção de aparelho ortodôntico?

…Continue lendo…

Contenção ortodôntica fixa inferior

contenção ortodôntica fixa

Contenção ortodôntica fixa é o dispositivo que mantém os dentes em posição após a retirada do aparelho ortodôntico.

Os dentes anteriores da arcada inferior costumam sair da posição com certa facilidade. Por isso, o uso de contenção fixa inferior é padrão para a maioria dos ortodontistas.

A contenção é feita com um fio de aço bem fino colado nas faces linguais dos dentes, ou seja, nas faces internas.

Assim, temos a certeza de que nenhum dente sairá da posição. Ao mesmo tempo, o dispositivo fica totalmente invisível.

Temos a opção de trabalhar com a contenção ortodôntica reta ou com a higiênica. Cada uma tem as suas vantagens e vamos abordá-las nesse post.

…Continue lendo…

Trocar de ortodontista – como fazer?

Trocar de ortodontista no meio do tratamento pode ser necessário, por diversos motivos. Nessa hora surgem dúvidas de como fazer isso sem prejudicar o trabalho.

Para facilitar o entendimento, podemos dividir as situações possíveis em dois grupos  quando se troca de ortodontista:

  1. Quando o próprio ortodontista organiza a troca;
  2. Quando o cliente procura o novo ortodontista sozinho.

Trocar de ortodontista quando ele mesmo organiza a troca

Uma mudança de endereço repentina (como uma transferência no trabalho) pode obrigar o paciente a trocar de ortodontista durante o tratamento.

Em um tratamento com boa evolução e boa relação entre profissional e cliente, a única motivação para a interrupção seria realmente a mudança. …Continue lendo…

Como usar a cera protetora quando o aparelho fixo fica machucando?

O uso correto da cera ortodôntica pode evitar a maioria dos problemas de aftas e machucados na mucosa das bochechas e lábios na fase inicial de adaptação ao aparelho fixo.

É importante que no dia em que o aparelho ortodôntico é colado, o ortodontista forneça a cera ortodôntica e explique como usá-la para que o cliente tenha o mínimo de desconforto nesta fase inicial.

A cera ortodôntica pode ser usada em um único dente ou em um grupo de dentes dependendo da área que está sujeita ao trauma causado pelo aparelho.

Mesmo que o aparelho não esteja machucando, pode ser uma boa ideia usar a cera ortodôntica para dormir nos primeiros dias.

Durante o sono a chance de traumatizar a mucosa aumenta pois a boca pode ficar mais seca. Por isso é importante proteger.

Evitando a formação de aftas nos primeiros dias, damos a oportunidade para que a mucosa desenvolva resistência ao atrito com o aparelho. Isso permite que o cliente se adapte mais rápido a comer e falar.

Este vídeo mostra como usar a cera ortodôntica nas diversas situações em que o aparelho pode ferir as mucosas. Espero que vocês gostem.

Se você gostou deste vídeo, acho que também vai se interessar por este outro que mostra como escovar o seu aparelho corretamente.

Disjuntor palatino – como limpar o seu

O disjuntor palatino é um aparelho usado para expansão que fica fixo na arcada superior muito próximo ao palato. Por isso, a limpeza dos dentes e do aparelho após as refeições é um pouco mais complicada.

Mesmo assim, quem usa um disjuntor palatino não pode facilitar na escovação, pois os problemas decorrentes de uma higiene deficiente podem levar a necessidade de remover o aparelho antes do tempo prejudicando o resultado da disjunção.

E é sempre bom lembrar que este tipo de aparelho costuma ficar por vários meses na boca, então não adianta empurrar com a barriga.

O uso da escova de dentes comum de maneira eficaz é o primeiro aspecto a ser considerado na limpeza do disjuntor palatino. É necessário repetir bastante os movimentos para ter um bom resultado.

Além disso, há o fio dental que é a parte mais complicada da higienização pois requer uma certa habilidade no uso do passa-fio, um acessório parecido com uma agulha de costura, feito de plástico e flexível que ajuda a conduzir o fio dental entre o aparelho e a mucosa do palato.

O passa-fio é facilmente encontrado nas farmácias.

Para finalizar, recomendo o uso de uma seringa plástica para produzir um jato de água (ou enxaguante bucal, se você preferir) entre o disjuntor palatino e o palato afim de remover os últimos resíduos de alimento que ficam presos neste espaço.

É importante usar apenas a seringa, sem agulha, para evitar acidentes com ferimentos dentro da boca.

Neste vídeo você vai aprender a usar não só a escova de dentes, mas também o fio dental e jatos d’água aplicados com uma seringa para completar a higienização do seu disjuntor palatino.

Para entender melhor como esta fase do seu tratamento vai ser, veja este infográfico sobre disjunção palatina e tire todas as suas dúvidas.

Se você gostou deste vídeo pode aprender muito mais sobre tratamentos ortodônticos visitando o site do ortodontista.net.

Um abraço,

Dr. Andre Moreira

Placa de contenção e o tratamento ortodôntico

Placa de contenção é o aparelho móvel usado depois que remove-se o aparelho ortodôntico fixo.

O objetivo de placa de contenção é ajudar a manter o resultado do tratamento ortodôntico estável.

É importante deixar claro que a estabilidade do resultado não depende apenas do uso de um aparelho móvel. Existem outros fatores importantes nesse processo.

Aparelho móvel - contenção ortodôntica

Aparelho móvel – contenção ortodôntica

Como manter o resultado do tratamento ortodôntico estável

Primeiramente, um dos aspectos mais importantes é o correto posicionamento dos dentes ao final do tratamento.

Dentes bem posicionados, com inclinações adequadas, vão proporcionar a correta engrenagem entre as duas arcadas.

Boa engrenagem significa uma mastigação funcional. Ou seja, as forças da mastigação não atuam de forma a deslocar os dentes da sua posição ideal.

Uma vez que as questões estética e funcional estejam resolvidas, o ortodontista deve iniciar a fase de contenção do tratamento, ainda com o aparelho fixo.

Fase de contenção com o aparelho fixo

Antes de retirar o aparelho fixo e entregar uma placa de contenção para o paciente, o ortodontista inicia a fase de contenção.

Essa etapa do tratamento é essencial. Consiste em manter o aparelho fixo sem ativação por um período que pode variar de quatro a seis meses.

Isso pode gerar alguma confusão, pois o termo “contenção” se aplica tanto à esta fase do tratamento, quanto à própria placa de contenção.

Recapitulando: A contenção do tratamento ortodôntico se inicia nessa fase em que o aparelho fixo é mantido na boca por alguns meses, sem ser ativado.

Isso vai permitir que o osso se restabeleça em torno das raízes dos dentes, deixando-os mais firmes.

Quem já usou aparelho conhece a sensação de sentir os dentes com mobilidade.

Essa mobilidade é sinal de que o osso está afastado das raízes dos dentes.

Manter o aparelho “parado” é como fazer uma imobilização de uma fratura: É preciso imobilizar para que o novo osso se forme.

Feito isso, o momento da remoção do aparelho será confortável para o paciente. Com os dentes bem firmes, o ato de retirar o bracket não provoca dor.

Por outro lado, se os dentes estiverem com mobilidade, haverá desconforto. Podemos ter a sensação de que o dente vai sair junto do aparelho.

Aparelho móvel - placa de contenção removível

Aparelho móvel – placa de contenção removível

Placa de contenção

Após esse período de espera, com o aparelho desativado, o osso estará formado. O aparelho fixo pode ser removido com tranquilidade.

Nesse momento entra em cena a placa de contenção.

O paciente deve ser moldado sem o aparelho fixo para a confecção da placa de contenção.

A placa deve ser entregue no menor prazo possível, para evitar que algum dente saia da posição, mesmo que apenas um pouco.

Sim, essa instabilidade pode ocorrer e não vale a pena arriscar perder nem mesmo uma fração do resultado alcançado. Todo cuidado é pouco.

A placa de contenção deverá ser usada segundo a orientação do ortodontista.

O profissional pode pedir o uso apenas noturno ou aumentar esse período, de acordo com a necessidade de cada caso.

Além de conter eventuais instabilidades, a placa de contenção vai servir como um “gabarito” do resultado final.

O paciente vai perceber se algum dente está com tendência a se movimentar.

Isso ocorre pela percepção de pressão em um ou mais dentes.

Quando o paciente coloca a placa e sente uma pressão diferente, esse já é o sinal de que alguma coisa está fora do normal.

Nesse caso será preciso entrar em contato com o ortodontista para identificar o problema.

É essa a maneira mais fácil de assegurar o resultado do tratamento ortodôntico.

Os dentes não vão ficar na posição só por que estão bonitos. O ortodontista e o paciente precisam trabalhar juntos para manter o resultado. E a placa de contenção é uma ótima ferramenta para isso.

O perigo das bandas mal-adaptadas

Se você usa aparelho, é provável que tenha bandas (anéis metálicos) nos molares.

As bandas são usadas para evitar descolamentos repetidos dos tubos dos molares e funcionam muito bem quando estão bem adaptadas à anatomia do dente.

Mas se não houver esta adaptação em que a banda fica bem justa no dente, você pode ter problemas durante o tratamento.

Como isso pode acontecer?

O problema está na cimentação da banda.

Quando há uma adaptação perfeita, a quantidade de cimento que fica entre o dente e a banda é mínima formando uma linha de cimento finíssima.

Isso protege o cimento do contato direto com a saliva.

Mas se houver um espaço grande entre o dente e a banda devido à uma má adaptação desta, será necessária uma grande quantidade de cimento para compensar esta diferença.

A linha de cimento, ou seja, a parte do cimento que vai ficar em contato com a saliva, fica muito grossa e começa a sofrer ação das enzimas salivares se dissolvendo lentamente.

Assim se cria um espaço sem cimento entre o dente e a banda. Neste momento você pode sentir que a banda não está completamente presa ao dente e apresenta certa mobilidade (normalmente subindo e descendo).

Durante a mastigação, este espaço é preenchido por resíduos alimentares que dificilmente serão removidos com a escovação dos dentes e do aparelho.

E então pode haver gosto desagradável na boca, mau hálito, sangramento gengival no local, inflamação da gengiva em torno da banda, penetração da banda no sulco gengival e até mesmo problemas mais graves como abcessos periodontais e cáries extensas.

Por isso você deve sempre estar atento às bandas do seu aparelho e em caso de mobilidade ou qualquer alteração nos tecidos adjacentes, converse com o seu ortodontista para evitar complicações desnecessárias.

Lembre-se que a prevenção garante um tratamento mais tranquilo.

Para entender um pouco mais sobre o assunto veja o artigo sobre o funcionamento do aparelho sem bandas ortodônticas.