Dente de leite atrapalha a erupção do permanente?

Um dente de leite que demora muito para cair pode realmente interferir na erupção do dente permanente correspondente?

Vamos iniciar este post pensando em uma situação bastante comum:

Em uma criança com 6 ou 7 anos, os pais percebem que os incisivos inferiores permanentes estão nascendo por trás dos dentes de leite sem que estes estejam moles.

Por que isso acontece?

Os dentes permanentes erupcionaram assim por que os de leite não foram arrancados no momento certo?

Enfim, o dente de leite pode atrapalhar a erupção do dente permanente?

O que os pais devem fazer nessa situação?

Esta é uma pergunta comum nos consultórios dentários e este post está sendo escrito por sugestão da Dra. Carolina Yori, ortodontista e frequentadora do Blog há bastante tempo.

Para responder é necessário explicar como ocorre a substituição dos dentes de leite pelos permanentes.

Como ocorre a troca dos dentes?

Durante a erupção, os dentes permanentes absorvem as raízes dos dentes de leite na medida em que vão nascendo. Dessa forma os decíduos (dentes de leite) servem como “guias” para a chegada dos permanentes à boca.

Ou seja, os dentes decíduos não impedem a erupção dos permanentes.

O que ocorre é que se há falta de espaço (lá dentro do osso) para os dentes permanentes que estão se formando, estes dentes precisam se acomodar saindo de suas posições originais na tentativa de conseguir espaço para erupcionar.

Na sequência de imagens abaixo, podemos observar que antes de se iniciar as trocas, os incisivos inferiores de leite já estavam separados entre si.

Isso é um sinal de que o osso se desenvolveu o bastante para acomodar os dentes permanentes que estão chegando.

Podemos ver que os dentes permanentes estão com espaço suficiente (clique na imagem para ampliar).

troca dos incisivos de leite

A troca da dentição decídua ocorrendo normalmente

Quando o dente permanente chega perto da superfície, já destruiu completamente a raiz do dente de leite, que cai naturalmente.

O que acontece quando não há espaço para todos os dentes?

Se um dente permanente erupciona fora da posição correta, pode não reabsorver completamente a raiz do dente de leite correspondente, fazendo com que este não fique totalmente mole e não caia sozinho.

Na imagem seguinte, vemos que os incisivos decíduos não estão separados como no exemplo anterior. E logo abaixo, observamos que os incisivos permanentes já estão disputando o pouco espaço disponível. Ou seja, o osso não se desenvolveu o bastante para acomodar todos os dentes.

Agora, na visão lateral, vemos que um incisivo permanente se deslocou para trás para poder erupcionar, mas isso fez com que a raiz do dente de leite correspondente não fosse absorvida.

Por fim, os dois dentes estão presentes na boca. O decíduo e o permanente.

Falta de espaço para incisivos

A falta de espaço faz com que o dente de leite não caia

O que os pais observam na criança é o dente decíduo retido e o permanente tentando sair da gengiva, podendo estar voltado para o lingual ou para a vestibular (região das bochechas e lábios).

Esta imagem dos dois dentes “trepados” com o permanente visivelmente fora da posição certa leva à uma avaliação de que o dente de leite (decíduo) está impedindo que o permanente erupcione corretamente.

Mas o que acontece na verdade é o contrário. A posição errada do permanente faz com que o decíduo não tenha as raízes absorvidas e, por isso mesmo, não fique com mobilidade suficiente para cair ou ser removido em casa pelos pais ou pela própria criança.

O que fazer quando o dente permanente nasce fora da posição?

Essa situação mostra que o desenvolvimento ósseo das arcadas está comprometido e que os dentes permanentes já estão sem espaço mesmo antes de erupcionarem.

A partir dos seis anos de idade já é possível identificar este padrão, mesmo sem nenhum dente permanente erupcionado.

A solução é estimular o crescimento da estrutura óssea afim de obter espaço suficiente para que todos os dentes se acomodem corretamente.

Isso pode ser feito através da Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Este tratamento pode ser iniciado aos 6 anos de idade com aparelhos removíveis para estimular o crescimento das arcadas dentárias. Há um post completo falando sobre a idade ideal para iniciar o tratamento em crianças aqui no Blog.

16 Comentários para: “Dente de leite atrapalha a erupção do permanente?

  1. Bom dia, dr. André.

    Gostaria de lhe fazer uma pergunta. Estou há dois anos fazendo tratamento ortodôntico e nos últimos dois meses (de setembro pra cá) os dentes ficaram perfeitamente alinhados. Infelizmente, em fevereiro, precisarei interromper o tratamento, por questões pessoais, sem previsão de retorno. Se eu pedir à minha dentista para colocar uma contenção, existem chances de preservar o que já foi conquistado?

    Obrigada!

  2. Eu uso aparelho fixo a 4 anos , e meu dentista disse que vai tirar esse que e o fixo , e não vai botar o móvel , ele falo que meu dente já ta fixado e não presiza botar o aparelho móvel, mas meu amigos que usou aparelho. Falaram que presiza usar o (móvel) tambem porque se não o dente vouta o que era antes .
    Tou na dúvida e minha mãe também será que o dentista ta roubando ou e isso mesmo eu não presizo usar o móvel?

  3. Oi Dr. andré, preciso muito tirar uma dúvida que está me deixando preocupado, coloquei aparelho fixo nesse dia 20 de janeiro, mas conforme a colocação notei que que não conseguia fechar a boca adequadamente até o final pois meus caninos e meus primeiros pré molares encostam nos braquetes, devido a isso a doutora que colou meu aparelho não terminou o seviço, não amarrou as bandas e não colocou os demais braquetes dos dentes do fundo, fiquei como se estivesse de aparelho mas sem a função da correção. Ela colocou uma resina nos meus dentes para que os braquetes não quebrassem conforme eu mastigasse, Ela me disse que é NORMAL eu não conseguir fechar a boca e meus dentes encostarem no braquete, perguntei a ela porque eu não consigo fechar a boca e ela disse que tem que passar uns 3 meses para posicionar os meus dentes “pois não tem espaço para os braquetes” e que isso logo acabaria, estou em dúvida se isso é normal realmente, ou se foi um erro de avaliação por parte dela, oque devo fazer em relação a isso?

      • Oi Doutor André, entendi essa parte que é normal levantar a mordida para não quebrar os braquetes, isso significa que por enquanto minha mordida precisa ser ” levantada ” para adaptar o aparelho e isso leva alguns meses como a Doutora me disse ou vou ter que passar meu tratamento todo sem fechar a boca corretamente?? eu não entendo ainda muito bem, faltam 14 dias pro meu retorno para eu tirar todas as dúvidas com ela, meus dentes de baixo vão aumentar para cima para ela descer mais os braquetes inferiores ou a gengiva abaixar para tb criar mais espaço para abaixar os braquetes? como os dentes de cima não vão mais encostar nos braquetes inferiores?? isso me confunde demais

  4. Olá Dr. André,

    tenho uma pergunta que não tem a ver com sua postagem. Tenho diastema e mordida profunda, há cerca dois meses coloquei o aparelho fixo em parte da arcada superior e já comecei a ver mudanças nos meus dentes, no entanto, na última consulta perguntei ao dentista se os molares superiores também irão receber o aparelho pois nos últimos dois dentes não tenho nada e ele respondeu que esses dentes estão bem posicionados e por isso não há necessidade de colocação de aparelho ali pois o aparelho pode acabar tirando-os do lugar. Estou em dúvida se o procedimento está correto e pretendo questionar o dentista novamente por isso, mas também gostaria de ouvir sua opinião. Será que realmente não há necessidade de colocar aparelho nos molares? Muito obrigada pela atenção desde já! Abraços.

  5. Olá! A minha ortodontista me informou que vou precisar realizar esse procedimento entre meus incisivos centrais superiores com no máximo 1mm. Tem alguma forma de saber se ela realmente está capacitada para isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*