Tratamento Ortodôntico, o que saber antes de começar

Ao longo desses mais de dez anos tirando dúvidas aqui no Blog, percebi que muitas pessoas iniciam seu tratamento ortodôntico sem fazer algumas perguntas que considero muito importantes para se tomar esta decisão.

Não diria que tudo o que é importante está nesta relação, pois certamente vão surgir situações novas com o tempo e serei obrigado a atualizar este post.

Mas seguem algumas perguntas que são importantíssimas antes de começar seu tratamento ortodôntico:

Sorriso com aparelho de safira

Tratamento ortodôntico – uma decisão difícil

Quanto tempo vai durar o tratamento ortodôntico?

O prazo é garantido ou apenas uma estimativa?

Se houver variação neste prazo pode ser de até quantos meses?

O tempo do tratamento nem sempre fica claro para o cliente quando ele decide colocar aparelho. Na maioria das situações um prazo razoável fica entre dois e três anos.

Sabemos que algumas situações requerem mais tempo para serem solucionadas. Nesses casos o ortodontista deve avisar ao cliente que se trata de um tratamento complexo e que o prazo precisará ser maior.

Você deve perguntar de forma simples e direta quanto tempo vai ser preciso para resolver o seu problema.

Uma vez que você receba uma resposta clara, vem a segunda pergunta: Esse prazo pode ser ultrapassado?

A resposta mais sincera seria “sim” pois todo tratamento ortodôntico está sujeito a atrasos e contratempos.

E então vem a terceira pergunta: E se atrasar? O cliente deve continuar pagando todo mês?

A resposta pode variar. Alguns ortodontistas podem responder que sim, o cliente deve continuar pagando, e outros que não, o cliente deixa de pagar quando terminar o prazo definido inicialmente.

Não se pode dizer que há nada de errado em nenhuma das duas condutas.

Mas é importante que o cliente esteja ciente do tipo de proposta que está aceitando, estando ela estabelecida em um contrato ou sendo apenas baseada na palavra.

O aparelho será instalado até os molares?

Serão usadas bandas ou os tubos serão colados diretamente nos dentes?

Essa é uma dúvida bem técnica, mas muito comum aqui no blog. Tanto que há um post exclusivamente criado para respondê-la. Veja no link como são usadas as bandas ortodônticas.

Mas o nosso objetivo é lembrar que a pergunta deve ser feita na primeira consulta. Isso evita que o cliente fique ansioso em relação ao planejamento do seu tratamento ortodôntico.

De forma geral, a inclusão dos molares no aparelho é recomendada, mas em alguns casos, o ortodontista pode optar por uma montagem menos abrangente, deixando o aparelho mais “curto”.

Desde que isso seja explicado para o cliente antes e não comprometa o prazo ou o resultado, tudo bem. Só não abra mão do direito de saber como será feita a montagem do seu aparelho.

Vou precisar extrair dentes no meu tratamento ortodôntico?

Caso a resposta seja positiva,  que dentes serão extraídos?

Quando serão extraídos? Antes ou depois da colagem do aparelho?

Em quanto tempo aproximadamente os espaços serão fechados?

Existe a chance de não se conseguir o fechamento completo dos espaços?

Esta talvez seja a questão mais crítica de todas, pois extrações são procedimentos invasivos e irreversíveis.

É necessário ter muita segurança no ortodontista para extrair dentes com finalidade ortodôntica.

Por isso, não se sinta desconfortável em perguntar várias vezes sobre essa decisão.

Questione mesmo, até sentir que está tranquilo com as extrações. Não dá para mudar de ideia depois que os dentes foram extraídos.

Há ainda uma última pergunta: Mesmo que os espaços sejam completamente fechados e tudo corra como o planejado, existe a chance de o meu perfil ficar exageradamente retruído? Em outras palavras, posso ficar com a boca murcha?

Esse efeito pode ocorrer em algumas faces, então é importante ficar atento a esse detalhe e perguntar ao seu ortodontista.

Sim, são realmente muitas questões, mas a decisão de extrair dentes saudáveis sempre é difícil se for tomada com cautela.

O aparelho será colado nas duas arcadas no mesmo dia?

Se não, qual o intervalo entre a montagem das duas arcadas?

Essa é outra questão técnica que depende muito da forma como o ortodontista trabalha. Não há uma única forma correta de se fazer a montagem do aparelho.

Mas a pergunta ajuda a definir se o cronograma do tratamento ortodôntico está bem estabelecido após um estudo criteriosos do caso.

Eventualmente pode ser preciso montar o aparelho fixo em uma das arcadas e esperar que alterações ocorram antes de colar a outra.

Isso pode deixar uma certa indefinição em relação ao prazo para a segunda colagem, mas, se tudo estiver bem explicado para o cliente, não haverá preocupação para a colocação do restante do aparelho.

É necessário pagar quando alguma peça do aparelho quebra ou descola? Quanto é cobrado nestes casos?

Questões financeiras, mesmo pequenas, podem gerar desentendimentos que interferem no relacionamento entre o cliente e o ortodontista.

Por isso, se houver a possibilidade de uma cobrança que não esteja prevista, isso deve ficar bem claro desde o início do tratamento.

Mais uma vez, cobrar a reposição de brackets ou não é uma decisão do profissional e as duas condutas são corretas. Cabe ao cliente usar mais essa informação para ajudar na escolha do seu ortodontista.

Existe a chance de troca do ortodontista no meio do meu tratamento?

Se isso ocorrer eu poderei entrar em contato com o profissional ou precisarei continuar o tratamento com o novo ortodontista da clínica?

Situações em que o ortodontista se desvincula de uma clínica raramente trazem benefício para o tratamento ortodôntico. Mas, infelizmente, ocorrem com certa frequência.

O problema é que nem sempre o novo ortodontista concorda com o planejamento do anterior. E isso impacta diretamente o cliente.

Se você gosta e confia na clínica onde se trata e não se importa com a troca do ortodontista, tudo bem.

Não há nada de errado nisso. Não podemos julgar antecipadamente o novo ortodontista que vai assumir o caso.

Mas e se você preferir seguir seu ortodontista? Ou ao menos ter como entrar em contato com ele, mesmo permanecendo na clínica?

Haverá algum obstáculo para isso? Você tem o contato particular do seu ortodontista desde o início? Ou só consegue falar com ele através da clínica?

Todas estas questões podem até gerar algum desconforto quando o cliente faz a pergunta, mas um ortodontista comprometido com prazos e resultados sempre tem uma resposta clara e não se importa com questionamentos que sejam pertinentes.

O que não é natural é iniciar um tratamento sem entender o que vai acontecer ao longo do processo, sem saber quanto vai pagar ou quanto tempo vai durar.

Tudo isso vai contribuir para termos cada vez mais clientes satisfeitos e uma ortodontia cada vez mais eficiente.

 

22 Comentários para: “Tratamento Ortodôntico, o que saber antes de começar

  1. Estou tendo a maior dor de cabeça com o tratamento que inicie há algumas semanas atrás. Infelizmente, não fiz esses questionamentos levantados por você – só achei seu blog agora. Não sei nada sobre o meu plano, ele não disse o valor que eu deveria pagar. Mas, o que me irritou foi o fato dele não dizer o tempo aproximado que o tratamento iria durar, e pior, não disse qual é o meu problema. Não saberia descreve-lo aqui como outros fazem.

    Ainda tem mais, assim que ele colocou o aparelho, retornei no décimo quinto dia a pedido dele, reclamei que as minhas gengivas estavam maiores ou inflamadas e com uma cor escura. Perguntei se poderia ser algum problema periodontal, pois já tive esse problema anos atrás. Ele então, pegou o fio dental e passou pelos meus dentes e eles estavam limpos e não tinha qualquer fluído de sangue. Mesmo assim, insisti que poderia estar com problemas e que se ele não solucionasse eu iria interromper o tratamento. Ele me indicou um especialista da área e só vai aceitar o laudo dele. Achei isso um absurdo tudo isso, até pq o profissional é ele, eu não tenho que ficar atento a essas coisas ou qualquer “porém” durante o tratamento.

    Bem, na próxima visita, daqui uma semana, irei questioná-lo novamente. Se não me responder vou interromper o tratamento unilateralmente, até por que nem contrato eu assinei. Será que estarei sendo anti-ético caso eu faça isso? Pegunto por que eu tenho ética, não quero cometer os erros que ele cometeu comigo.

    • Willian,

      Você como cliente pode desistir do tratamento se não se sentir seguro. Isso não tem nada de anti-ético. Se houver um contrato, obviamente, precisa ser honrado.

      A falha na comunicação não significa que o profissional não seja competente. Vale a pena dar uma chance de recomeçar com o pé direito, questionando tudo isso agora. Se ainda não obtiver respostas claras e objetivas, aí sim vale a pena pensar em consultar outro ortodontista.

  2. Ola, Dr Andre! Meu nome e Filipe, tenho 19 anos e gostaria de tirar uma duvida. Ah 3 anos atras, em um jogo de Handball, eu sofri um acidente e tive 2 dentes da frente avulsionados por inteiro, um dente ao lado desses dois ficou bem torto e quebrei outros dois de baixo. Com menos de uma hora eu ja estava na sala de um cirurgiao dentista muito bom da minha cidade (graças a Deus). Ele fez o reimplante desses dentes avulsionados que foram imersos em agua fria. Graças a Deus deu tudo certo, fiz o tratamento com ele e outra dentista que fez o canal deles. Hoje nem parece que isso aconteceu, apesar de meus dentes nao serem perfeitos, pela gravidade que foi o acidente meu sorriso esta otimo. Mesmo assim, eu resolvi colocar o aparelho para ficar com uma estética dentaria melhor. Gostaria de saber se a possibilidade de usar o aparelho sem maiores problemas? Eu ja marquei uma avaliaçao, mais como sou ansioso, resolvi mandar a pergunta kkk Desde ja, meu muito obrigado!!

    • Filipe,

      Com esse histórico acho que fica difícil fazer um tratamento ortodôntico.

      Seus dentes reimplantados e com canal tratado estão muito provavelmente anquilosados, ou seja, totalmente unidos ao osso. Por isso mesmo não podem ser movimentados.

      Talvez até seja possível fazer a correção de outros dentes sem fazer força sobre esses, mas não sei se isso valeria a pena.

      Casos assim têm indicação para odontologia estética e não movimentação ortodôntica.

      • Dr. Andre, primeiramente meu muito obrigado! Eu realmente quero muito melhorar a estética dentaria. Qual tratamento me traria melhor resultados levando em conta esse meu histórico do acidente? Talvez um implante dentario, ou entao facetas de porcelana? Ajustar os outros e depois melhorar a estetica desse com um desses procedimentos talvez?. Muito obrigado Dr. Andre!

  3. Iniciei meu tratamento ortodôntico há 3 meses, sendo que minha dentista optou por não realizar a extração de nenhum dente. Também não me pediu molde e nem radiografia, primeira coisa que achei estranha.
    Os dentes até estavam se alinhando, embora tenha criado mais espaço entre as mordidas depois deste alinhamento.
    O período também nunca ficou bem claro, na avaliação seria de 1 anos e 4 meses, mas posteriormente questionei novamente e ela falou que qualquer tratamento ortodôntico dura de 2 anos a 2 anos e meio. Ou seja, não há muita clareza neste aspecto.
    A gota d’água foi o fato de que ela está gestante, e em função do período de parto e pós parto, vai ficar 70 dias sem fazer manutenção. É razoável isto?? Ela não poderia fazer uma parceria com um colega pra não ficar tanto tempo sem manutenção? (pergunta 1)
    Consultei outra ortodontista que disse que poderia iniciar novo tratamento, mas descolando o aparelho anterior, só que pediu que eu faça a “pasta”, radiografia e demais documentos, que poderia ser feito com o aparelho atual sem problemas. É assim mesmo?? (pergunta 2) Disse também que não via maneira de não extrair um pré-molar de cada lado, mas que seria mais adiante. É normal fazer extração no meio do tratamento?? (pergunta 3)

    • Renata,

      1- Realmente, no caso de uma gravidez, seria possível ter se organizado para que os clientes não ficassem sem atendimento.

      2- Eu, particularmente, prefiro fazer a documentação com o cliente sem aparelho fixo.

      3- Na minha opinião, o ideal é que extrações sejam feitas antes da instalação do aparelho.

  4. Olá, dr. André, ja faço um tratamento ortodôntico há 1 ano e 4 meses e não fiz muitos desses questionamentos quando iniciei o tratamento. Tenho um desvio da linha mediana acentuado ao lado direito da arcada superior e o incisivo lateral direito superior atrás da arcada, com isso meu dentista decidiu extrair o pré-molar esquerdo pra corrigir esses problemas. Entretanto, ele acabou fechando mais a arcada superior do lado esquerdo com essa extração e, assim, a inferior está fechando a frente da superior e a linha média continua bastante desviada e o dente escondido ficou sem espaço pra aparecer. Nas últimas consultas ele tinha falado que já tinha alinhado a linha média, so que como enfatizei que continuava desalinhado ele fez uma raspagem pra tentar corrigir o problema. Agora ele quer extrair mais 3 pré-molares (1 em cima e 2 embaixo) pra corrigir o problema. Fiquei meio receoso de fazer mais extrações e fica pior e decidi buscar mais opiniões. 1 dentista falou que as extrações não são recomendadas porque vai alterar muito o perfil, mas disse que não pega o caso do jeito que tá. Outro falou que também não pega porque o caso é cirúrgico. A meu ver se desse pra puxar pra frente o lado esquerdo da arcada superior, talvez, resolveria o problema. Isso é viável? Há alguma sugestão do que posso fazer agora? Porque me encontro meio perdido e preocupado com o resultado do meu tratamento.

    • Josenilson,

      É difícil fazer considerações sem ver o paciente pessoalmente. Mas, estou deduzindo que o seu caso não é simples, e aparentemente, a primeira tentativa de tratar não deu certo. Além disso, um dente já foi extraído.

      Acho que o melhor é continuar conversando com outros ortodontistas até encontrar um que inspire confiança. Enquanto isso, você vai entendendo melhor o seu problema.

      Vá com calma, pois esse processo pode demorar, mas não adianta correr para o lado errado agora.

  5. Olá Dr. Andre, tudo bem? O senhor poderia me ajudar com uma dúvida?
    Aos 18 anos, uma dentista extraiu um dos meus sisos indevidamente alegando que mais a frente, quando eu fosse colocar aparelho, seria necessário extraí-los. Porém aos 20, quando iniciei o tratamento ortodôntico, a dentista que estava cuidado do meu caso, me informou que a decisão de extrair dentes é mais complexa do que simplesmente olhar e dizer que não tem espaço (foi o caso da dentista anterior). De qualquer forma, essa segunda dentista chegou a conclusão (através de alguns exames) que eu deveria extrair os pré-molares e também os sisos (pois como eu já havia extraído um deles, seria necessário extrair todos (??)). Resultado: arranquei o total de 8 dentes, que hoje questiono bastante se realmente havia necessidade. Ao final do tratamento não gostei muito do resultado, pois me sinto com poucos dentes e vejo que minha arcada está mais estreita. Como não posso voltar atrás no que foi feito (infelizmente), gostaria de saber quais são as implicações dessas ações a longo prazo e se eu deveria tomar cuidados específicos atualmente para não ter problemas no futuro.

    • Renata,

      Extrair 4 pré-molares é relativamente comum em ortodontia, mas precisa ser bem indicado para evitar uma concavidade excessiva do perfil.

      Quanto aos sisos, talvez até conseguissem se posicionar nas arcadas depois das extrações dos pré-molares, mas, a princípio não vão fazer falta.

      Se o caso foi bem finalizado, o importante é manter contato com a sua ortodontista para monitorar o resultado anualmente e assim, evitar ter que movimentar os dentes de novo, caso saiam da posição.

  6. Você tem e-mail ou numero de whatsapp em que eu possa falar com o sr. Para eu tirar umas duvidas que venho tento ebque gostaria da opinião de um segundo especialista . Tem algum meio de eu entra em contato?

    • Leandro,

      Meu whatsapp está no site, pode me escrever, mas peço que não me envie imagens pois não faço nenhum tipo de avaliação baseado em fotografias, ok?

      Avaliação ortodôntica só pode ser feita através de consulta clínica.

      A proposta aqui do blog é apenas orientar e tirar algumas dúvidas.

  7. Prezado Dr. André,

    Sou adulta, tenho 38 anos, mordida cruzada anterior unilateral de um único dente e a arcada superior levemente estreita. Já usei aparelho fixo metálico na pré-adolescência ( e sofri muito), mas com o tempo desalinhou e cruzou. Há alguns anos, tentei corrigir com um aparelho móvel ortodôntico para expansão do palato, mas não consegui completar o tratamento, não consegui aprender a falar com ele e nem superar as náuseas. Desisti. Agora decidi tentar novamente. Comecei a documentação para um novo tratamento. Eu desejo o aparelho mais estético, mais rápido, mais indolor possível, preferencialmente mais higiênico. Minha atual ortodontista ofereceu-me o aparelho de safira com ligas de borracha. Eu perguntei se os autoligados não eram melhores e mais rápidos. Ela acredita que os benefícios são muito discretos em relação ao com ligas e que não compensa o custo. Fora o custo, pois isso não me importa tanto, o senhor concorda que a diferença é muito pouca? Não vi ainda fotos comparativas, lado a lado dos brackets de safira convencionais e dos brackets de safira autoligados. Eles têm o mesmo tamanho? Lembro de sofrer muitas dores com o fixo metálico comum e de ter as bochechas internamente feridas. Há alguma diferença nesse sentido em relação aos dois tipos? Ficarei muito grata por sua atenção.

    • Juliana,

      Os brackets estéticos auto-ligados costumam ser de porcelana e não de safira. A maioria tem tampa metálica, o que compromete a estética em relação ao bracket convencional.
      As vantagens mecânicas dependem do tipo de tratamento. Para casos mais simples, não vejo grande vantagem nos auto-ligados. Em tratamentos com extrações e mecânicas de deslizamento, essa diferença pode ser relevante.
      Mas essa é uma questão que gera muita discordância entre os ortodontistas. Por isso, o que importa é a opinião do profissional que você escolheu.
      Quanto à dor e ferimentos na mucosa, nenhum deles vai dar tantos problemas. Mas isso também depende muito do ortodontista.

  8. Bom dia! a muitos anos eu tinha restauração de amálgama e resolvi substituir a mesma por resina ( um material próximo a cor do dente). Porém eu me de ter realizado a troca, pois algumas pessoas disseram que o material de amálgama é mais resistente. Ou seja, depois de algum tempo eu posso substituir por amálgama?
    >> fico com medo de problemas futuros, como por exemplo o desgaste do material de resina e ocorrer infiltrações<<<

  9. Olá Dr. André, tudo bem?

    Como gostaria de ter lido algo assim em 2012 quando iniciei o tratamento.
    Tinha o canino superior direito “encavalado” e o resto eram todos fora do lugar, enfim, extrai os 4 sisos e comecei o tratamento ortodôntico, durante, foi extraído o pré-molar que ficava embaixo do canino (encavalado) e outro pré-molar “espelho” a ele. A mordida ficou razoavelmente certa, mas a linha média ficou/continuou muito torta (muito mesmo). O tratamento foi encerrado em 06/2015, minha orto disse que deveria interromper porque eu estava com perda óssea e se continuasse eu poderia perder meu dente, o que me assustou muito. Fiquei esse tempo todo sem entender e decepcionada por não poder concluir, então decidi ir em uma outra clínica, conversei com a orto, expliquei o motivo da interrupção e que esse desvio da linha média me incomoda muito. Ela disse que é, na verdade, reabsorção óssea (o que para uma leiga como eu não muda muito), que dá para tentar chegar os dentes nos lugares, mas que não chegaria a 100%, talvez 70% e teria que acompanhar com radiografias a cada 3 meses e qualquer problema teríamos que tirar o aparelho imediatamente. A extração ela não aconselha por conta da reabsorção óssea.

    Estou muito decepcionada, pois tinha aquela expectativa de ter os dentes certinhos depois do tratamento, sem contar que está feio.

    Gostaria de saber sua opinião a respeito e se há alguma alternativa ou solução.

    Desde já, muito obrigado!

    • Josiane,

      Esse diagnóstico de reabsorção óssea, não seria “reabsorção radicular”? Pode haver reabsorção radicular devido à movimentação ortodôntica. Mas nem sempre isso impede um novo tratamento.

      Nesse caso acho que vale conversar com vários ortodontistas. A tendência é que profissionais menos experientes se sintam menos seguros para tratar casos com reabsorções.

      Então, você pode estar com uma reabsorção realmente importante, ou pode ser um problema administrável. Isso não tenho como saber.

      E, caso você decida fazer o tratamento, recomendo a leitura das 10 dicas do Blog. Principalmente no seu caso, não se pode arriscar um outro tratamento que não resolva de vez o problema, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*